Governo do Estado tem 15 dias para se manifestar sobre Aeródromo

Governo do Estado tem 15 dias para se manifestar sobre Aeródromo

O governo estadual e Federal, e Prefeitura de Manaus terão um prazo de 15 dias, a contar do envio da documentação, para manifestar-se sobre o término do contrato da Aeronáutica com o Aeródromo, que ocorrerá em agosto. O encaminhamento foi definido durante Audiência Pública ocorrida na Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam), na tarde desta segunda-feira (7), de autoria do deputado estadual Luiz Castro (Rede).
(Foto: Reprodução)
O encaminhamento acontecerá em conjunto com a Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Caama), presidida por Luiz Castro; e os Ministérios Públicos Federal (MPF) e Estadual (MP-AM).
“Não podemos paralisar em agosto, é surreal, por isso a urgência da manifestação dos gestores governamentais. Além disso, precisamos de estudos técnicos feitos pela Secretaria de Estado de Planejamento, Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia e Inovação (Seplancti), ouvindo todos os atores, para as estratégias a serem tomadas em médio prazo”, assinalou o parlamentar.
Iranduba
Iranduba (a 38,6 km de Manaus) foi citado como local para a próxima sede do Aeródromo. Além de ponto estratégico, por estar próximo da sede de Manaus,  o município está capacitado para a instalação, de acordo com Geraldo Luiz Picão, presidente da Amazonave.
Outros fins
A transferência da atual Rodoviária para o Aeroclube também foi assinalado durante a Audiência Pública. O presidente do Instituto Sumaúma, Augusto leite, é um dos entusiastas da ideia.
O deslocamento do aeroclube para uma área fora da Zona Urbana de Manaus é uma antiga demanda dos moradores do entorno. Luiz Castro, intermediador das discussões sobre a alteração do local, afirmou que os empresários também são favoráveis a mudança.
O parlamentar lembrou que em 2017 foi realizada uma reunião com o MPF, os locatários do aeródromo e representantes dos moradores dos bairros vizinhos. O resultado foi um consenso geral para a transferência do local.
“Naquele momento, discutiu-se a possibilidade, porém aconteceu a transição entre governadores do Estado. Os empresários não foram resistentes quanto a alteração do Aeroclube, desde que respeitadas algumas questões, como acessibilidade para os usuários e proximidade com Manaus. Esses dois itens são importantes especialmente para quem vem do interior, à procura de tratamento médico”, assinalou Luiz Castro.
Para os moradores e trabalhadores do entorno do aeródromo, o local pode ser utilizado para desafogar o déficit habitacional de Manaus, criar uma área de lazer ou mesmo uma creche. O parlamentar sugeriu também que a Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP-AM) pode mudar-se para o bairro de Flores. A atual sede da pasta não é do Governo do Estado.
Um dos locais sugeridos para um novo aeródromo é um terreno em Iranduba, nas proximidades da ‘cidade universitária’ da Universidade do Estado do Amazonas (UEA). Segundo o parlamentar, o local poderá precisar de investimentos da gestão estadual.
“O entendimento entre as partes – Governo Federal e do Estado e os proprietários de aeronaves – é perfeitamente possível e que o novo local não vai necessitar de um investimento enorme: a construção de uma boa pista, de infraestrutura de acesso e fornecimento de energia elétrica e água para o futuro aeródromo”, afirmou Luiz Castro.

*Com informações da Assessoria
O post Governo do Estado tem 15 dias para se manifestar sobre Aeródromo apareceu primeiro em Amazonas1.